A tecnologia à serviço da gastronomia

A tecnologia à serviço da gastronomia

Gabriel Germinara, sócio-fundador da empresa Cheff Solutions, fala sobre sua trajetória aliando tecnologia ao Food Service

264
0

Há 19 anos, o argentino Gabriel Germinara chegou ao Brasil e fundou, ao lado do amigo Walter Huarriz, uma empresa de tecnologia chamada Tango Software House. Em 2007, a empresa foi adquira por uma holding, se transformando em Cheff Solutions Internacional – uma das empresas mais inovadoras do ramo de Food Service.

No primeiro semestre de 2017, sua empresa lançou o Fast Payment, solução integrada que facilita a anotação do pedido do cliente e permite-lhe pagar a conta diretamente na mesa, um serviço inédito no país. Ineditismo, inclusive, é algo com que Gabriel já está acostumado. Seu primeiro projeto no Brasil foi no bar de um amigo, o antigo Rock Memoria Café, no Rio de Janeiro, em 1998. Até então, não existia a tecnologia touch screen por aqui, “foi revolucionário”, conta Germinara.

Apesar de ter sido lançado somente este ano, o Fast Payment é uma tecnologia que foi desenvolvida há seis anos, mas – fora entraves burocráticos – o mercado brasileiro não estava “preparado”. Segundo Gabriel, alguns estabelecimentos ainda são relutantes em implementar esse tipo de tecnologia no salão, por ser considerada “difícil” de ser manuseada pelo garçom ou “casual demais” para o atendimento de casas mais sofisticadas.

Este não é o único desafio da empresa. O mercado do Food Service é um dos primeiros a levar o baque da recessão econômica e, trabalhando diretamente com este setor, a Cheff Solutions não ficou imune aos efeitos da crise. Mesmo apresentado soluções que agilizam o atendimento no salão, e consequentemente aumentam o giro de clientela da casa, Gabriel conta que perdeu cerca de 200 clientes Brasil afora, não porque eles desistiram de ter o serviço, mas porque estes estabelecimentos fecharam ao longo de 2016.

Em face deste cenário, Gabriel não vê outra solução a não ser se reinventar – quantas vezes for necessário. Tanto que novos projetos já estão engatilhados para o segundo semestre de 2017, uma nova linha de produtos será lançada, a empresa pretende expandir seus serviços para outros países da América Latina e aumentar sua atuação, indo além do mercado de Food Service. Sem entregar muito o jogo, Gabriel fala sobre uma mudança na maneira de se fazer negócios: “Não é possível ser bom em tudo, apesar de oferecermos soluções cada vez mais integradas, percebemos uma tendência mundial de parcerias e estamos mudando nossa filosofia em direção a isso, de forma que qualquer parceiro possa se conectar às soluções que eu ofereço”.

Gabriel Germinara se define como um empreendedor nato, formado em Engenharia de Sistemas, tinha uma empresa de tecnologia na Argentina e já havia atuado no ramo de restaurantes como dono antes de vir para o Brasil. A primeira vez que entrou em contato com um serviço semelhante ao da comanda eletrônica (sistema do qual a Cheff Solutions é detentora da patente de criação no Brasil), foi aos 25 anos, em uma viagem aos EUA. Dentro de uma loja de aparelhos eletrônicos, um atendente anotava seus pedidos em uma versão “primitiva” de um tablet. Apreciador da boa mesa, Gabriel associou o serviço imediatamente ao atendimento em restaurantes.

Um dos principais problemas nos restaurantes, segundo a visão de Gabriel, é o tempo: tempo de espera para sentar, tempo de atendimento, tempo para chegar o pedido e o tempo para entrega da comanda. A demora é uma experiência negativa que impacta muito consumidor, e é isso que a empresa pretende eliminar diminuindo as dificuldades de gestão do salão.

No começo, a oferta de uma solução tecnológica não era muito bem aceita. Além de ser cara – cada aparelho custava cerca de 5 mil dólares -, os empresários do ramo não entendiam como isso poderia ser lucrativo a longo prazo. “O problema de ser o primeiro é que ninguém tem ideia do que você está fazendo. O investimento inicial é muito alto e o retorno demora anos. Só depois que começamos a ter concorrência é que nosso serviço passou a ser mais reconhecido, mas a concorrência no ramo da tecnologia também é feroz”.

Para manter o diferencial no mercado, a interface dos serviços foi ficando cada vez mais amigável. Hoje, restaurantes como o Jardim di Napoli, que tem garçons com mais de 40 anos de casa, utilizam a comanda eletrônica sem nenhuma dificuldade. A versão beta do Fast Payment, que foi testada no restaurante Mocotó, teve a aprovação final somente quando o garçom mais antigo da casa conseguiu utilizar o sistema sem dificuldades. Atualmente, Ráscal, Eataly, Forneria San Paolo, La Pasta Gialla, Mocotó, Sí Señor e Jardim di Napoli são alguns dos estabelecimentos que utilizam os serviços da Cheff Solutions em seus atendimentos.

DEIXE UM COMENTÁRIO