Donos da JBS compraram o sócio oculto

Donos da JBS compraram o sócio oculto

Blessed Holdings é dos irmãos Batista, admite a empresa

217
0

JBS admitiu na sexta-feira (26) que seus principais comandantes, Wesley Mendonça Batista e Joesley Mendonça Batista “adquiriram, de fato, a totalidade das participações societárias” na Blessed Holdings. A informação está em comunicado enviado à Comissão de Valores Imobiliários (CVM), em resposta a pedido de esclarecimento. Isso significa que a JBS faltou com a verdade anteriormente. Em ofício encaminhado na véspera à mesma CVM, afirmara “não estar envolvida em qualquer tratativa para aquisição de participação”.

A Blessed Holdings entrou como acionista do grupo J&F, controlador da JBS, na operação de fusão com o frigorífico Bertin, em 2009. Era o sócio “oculto”, pois não se conhecia as pessoas físicas responsáveis por ele. Até agora, constava apenas que a empresa pertencia a duas seguradoras — uma com sede em Cayman e outra em Porto Rico — por sua vez controladas pelo Gogent, agente fiduciário sediado em Guernsey, ilha no Canal da Mancha.

Também na sexta-feira, em comunicado aos acionistas e ao mercado, a JBS informou que Joesley Batista renunciou à presidência do conselho de administração da companhia e também na subsidiária americana Pilgrim’s Pride. Em ambos os casos será substituído por Tarek Farahat, integrante do conselho da JBS desde 2013 e presidente global de marketing e inovação da companhia desde 2015. José Batista Sobrinho, pai de Joesley e fundador do grupo foi eleito vice-presidente do conselho da JBS.

No domingo (28), o Ministério Público Federal emitiu nota informando sobre o andamento das negociações da multa estabelecida para que seja assinado o acordo de leniência com o grupo J&F. Os procuradores baixaram um pouco sua exigência, de R$ 11,1 bilhões para R$ 10,994 bilhões, a serem pagos em prestações semestrais ao longo de 13 anos, a partir de dezembro próximo. A última contraproposta, apresentada pela J&F na semana passada, foi de R$ 4 bilhões.

Fonte: Empresa e MPF

DEIXE UM COMENTÁRIO